Qual caminho seguir?

Qual caminho seguir?

          Pelo que tenho visto ultimamente, muita gente anda perdida na fotografia, tanto para entrar no mercado quanto na parte técnica, no marketing, na escolha de equipamentos, entre outras coisas.

          Estar perdido nesse contexto não é apenas uma simples dúvida entre comprar a lente A ou a lente B, pois isso é comum, mas perdido no sentido de não entender, afinal, o que se quer como fotógrafo.

Se minha percepção estiver correta, temos um mercado com muitos profissionais, mas na verdade com muito pouco profissionalismo, e isso é péssimo para todos.

Quando estamos perdidos não sabemos o que fazer, mas se pelo menos soubermos que estamos perdidos, isso já aguça a nossa mente para encontrarmos um caminho. É como a história que diz que quando estamos dentro de um aquário fica mais difícil enxergar a água, mas quando estamos fora dele conseguimos ver facilmente. Nesse caso, nem precisa sair, mas o fato de querer sair já é o primeiro passo.

O primeiro caminho é a autocrítica, para entender se você está perdido em algo ou não. Caso esteja, pense no por que acha isso e comece a procurar a saída, ou pelo menos a direção para se encontrar.

Sendo mais específico no que chamei de perdido, quero dizer quanto a tudo que envolve sua empresa ou seu trabalho como fotógrafo.

 

  • Se você não sabe que nicho deve atuar, está perdido.
  • Se você não sabe que equipamento usar, está perdido.
  • Se você não conhece um pouco de marketing e vendas, está perdido.
  • Se você não sabe quanto cobrar para fazer um evento, está perdido.
  • Se você não tem metas traçadas e planejadas, está perdido.
  • Se você atira para todos os lados, está perdido.

 

Quem atira para todos os lados pode até acertar alguma coisa, mas demora muito mais tempo para calibrar sua mira para acertar o seu verdadeiro alvo. Quem ainda não sabe o seu alvo está mais perdido ainda.

Vou usar como exemplo um post que eu vi no grupo de fotógrafos no Facebook. Era um post estranho, sem nexo, falando que precisam de fotógrafos, guitarristas e tatuadores. Citava um cachê de cinco mil reais. Falava algo sobre mandar fotos de selfie, algo voando e o telefone. Sim, é isso mesmo que você entendeu, ou seja, nada! Era um post totalmente esquisito, sem dizer para quê, quando ou onde. Ate aí, ok. As pessoas postam o que quiserem nas redes sociais, mas qual foi a minha surpresa (e de outros fotógrafos também) ao ver dezenas de pessoas colocando seus contatos e se oferecendo no post. Mas como as pessoas se oferecem para algo que não tinha nexo? Será pelo cachê? Afinal, cinco mil reais é legal, não é mesmo? Vamos fazer uma análise rápida sobre isso. Se for para um evento de um dia, o valor de cinco mil reais é excelente. Se for para quatro eventos no mês, o valor é bom. Se for para oito eventos no mês, é ruim. Se for para oito eventos no mês, das 08h às 23h, é péssimo. Aquilo não fazia sentido para mim. Aliás, não faz sentido as pessoas se interessarem sem nem saber o que era. Claro que muita gente deve ter colocado o contato para receber mais informações, até aí tento entender, mas a questão é: vale a pena se arriscar por um anúncio mal elaborado e sem informações do que é oferecido? Eu acho que não.

Para mim, isso acontece, pois há muita gente perdida. Não sei em que área ou quais áreas, mas em alguma com certeza está perdida. O post foi editado depois, mas continuava suspeito. Enfim, a ideia é mostrar como ainda tem muita gente que precisa se encontrar.

Ok, você disse que tem muita gente perdida, e o primeiro caminho seria a autocrítica. Mas isso basta? Apenas isso, não. Identifique em que aspecto você está perdido e procure ajuda. Como toquei no assunto “ajuda”, aproveito para citar algumas coisas que levo em minha vida:

1 – É impossível ajudar quem nem sabe que precisa de ajuda. Nesse caso, se tivermos oportunidade, podemos indicar que ele precisa de ajuda.

2 – É impossível ajudar quem não quer ajuda. Podemos até oferecer, mas não vai adiantar.

 

Então é simples. Entenda que você precisa de ajuda e depois peça ajuda. Procure pessoas que podem ajudá-lo, procure estudar e pesquisar mais sobre a área que você entende que está perdido.

Erico Rocha, do Ignição Digital, tem um vídeo que fala sobre procurar os seus gurus, seus mentores. Ele diz que você precisa procurar pessoas que entendam do assunto que você precisa aprender e ir atrás delas. Pode até ser que não seja apenas com um mentor ou através de um curso que você resolverá todos os seus problemas, mas com certeza começar essa caminhada será um grande passo para você.

Espero ter conseguido ajudar de alguma maneira e vamos seguir nessa enorme ajuda mútua, para juntos nos encontrarmos no mundo da fotografia.

Anúncios