Como lidar com as suas limitações?

 

Imagem original do Geração de Valor, conforme assinatura mantida na imagem

Imagem original do Geração de Valor, conforme assinatura mantida na imagem.

Uma grande dificuldade que existe em nosso dia a dia é como saber lidar com as nossas limitações e como resolvê-las. Mas antes é necessário mapear e identificar essas limitações.

No livro do projeto, cito muitas coisas que precisam ser estudadas para potencializar as chances de sucesso. Nisso, acredito que já seria possível identificar muitos pontos como possíveis limitações.

O conceito de limitação a que me refiro aqui é a dificuldade real de lidar com algo que é necessário para sua vida. Não conhecer ou saber sobre algo também pode ser considerado como uma limitação, desde que seja um conhecimento que você deveria ter.

Ter uma limitação não é um problema, desde que você dê a devida importância a ela. Mas como assim? Se eu sei que tenho limitação em algo (e que deveria ser resolvida o quanto antes), deveria dar mais atenção a essa atividade em que apresento dificuldades do que a outras que eu domino melhor. Legal, mas apenas fazer isso vai resolver? Não, no máximo minimizar o problema.

Algumas limitações podem ser mais difíceis de serem identificadas, pois são mais sutis. Vou dar o exemplo de uma limitação minha e como está sendo o caminho para resolvê-la.

Uma limitação que eu e a Luciana identificamos e que realmente temos em relação à fotografia é a direção de casais. Tenho certeza de que muitos de vocês que fotografam casais têm ou tiveram essa limitação, pois ela é bastante comum.

A primeira ação foi mapear, entender e principalmente assumir a limitação. Assumir a limitação nos deu a possibilidade de realmente correr atrás de uma solução, pois passa a ser algo constante no dia a dia, até que isso seja devidamente resolvido.

DICA: Escreva no seu plano de negócios, na parte sobre pontos fracos da empresa, as suas limitações. Assim você pode sempre reler e se lembrar de corrigi-las.

A segunda ação foi definir um plano de ação para resolver. Em nosso caso, foi buscar conhecimento. Comprei uma videoaula e planejei fazer um workshop sobre o tema assim que possível. Esse foi o meu plano de ação para resolver a limitação.

Algumas limitações podem ser resolvidas rapidamente e outras não, mas a grande sacada aqui é não deixar de encará-las, pois cedo ou tarde você terá que executar uma ação para minimizar o problema. Com certeza será mais difícil e até menos agradável trabalhar dessa maneira.

Não consegui participar de um workshop ainda, mas parado não dava para ficar, pois isso nos incomodava demais. Em paralelo, corri atrás de outras opções e uma delas foi comprar um livro que falava sobre construção de poses. Apesar de não ser necessariamente sobre direção de casais, o livro aborda um assunto que tinha a ver com o tema e que nos ajudou, tanto nas fotos de casais quanto em outros tipos de fotos. No caso, o livro foi o Poses Perfeitas, do Roberto Valenzuela. Aliás, esse livro é fantástico, e explica com detalhes a visão dele de como criar e entender uma pose.

Vejam que meu plano de ação mudou por questão de tempo (antes era o vídeo e o workshop), e o resultado disso foi que, apesar de não ter resolvido ainda totalmente a nossa limitação, já consegui evoluir no tema. Agreguei conhecimento técnico mais apurado (já li o livro três vezes). Quando eu conseguir fazer o workshop, terei mais ferramentas para aproveitar melhor o conhecimento a ser adquirido.

Onde eu quero chegar sobre a mudança de planejamento da resolução da limitação? Mesmo com toda a análise que eu fiz, não consegui ter noção do tamanho da minha limitação, pois quando vi o vídeo que comprei, achei-o ótimo. Após ler o livro continuei achando ótimo, porém vi ali poses que não pareciam mais de maneira tão natural para mim, e eu até faria diferente para um ou outro caso, pois já tinha mais conhecimento sobre o assunto.

Atualmente eu ainda sinto que a limitação existe, mas ela é menor. Eu já consegui desenvolver um olhar para analisar bem poses, sejam elas tiradas espontaneamente ou não. Falta ainda desenvolver mais para criar as minhas e melhorar a direção do casal (sem entrar no mérito de que direção é melhor ou pior, seja dinâmica ou qualquer outro tipo). O workshop ainda será feito, mantendo a linha de ação definida. Mas os atrasos e a impossibilidade de fazer o workshop não nos impediu de continuarmos a busca da maneira como era possível. Não pare de perseguir a resolução da limitação. Se alguma barreira aparecer, derrube-a, contorne ou encontre outro caminho. A ação de resolução é nossa e, por isso, não podemos ficar esperando caso algo saia do caminho previamente determinado.

Esse foi apenas um exemplo da importância de mapear, identificar, resolver e agora também quantificar a limitação.

Tendo conseguido fazer essas quatro atividades, será possível traçar um plano de ação bem definido para cada limitação e ir assim resolvendo todas de maneira organizada e principalmente definitiva.

Anúncios